terça-feira, 23 de agosto de 2016

Holocausto em Angola (i)

http://liceu-aristotelico.blogspot.com.br/2015/04/holocausto-em-angola-i.html

Olavo de Carvalho - Barack Obama e Israel

A verdadeira face de Nelson Mandela

A verdadeira face de Nelson Mandela: O inimigo do meu inimigo não é necessariamente meu amigo. Os infames bolcheviques de Lenin lutaram contra a cruel tirania czarista dos Romanov. Seus métodos eram horrendos, vitimando inclusive as crianças inocentes da família real. Ao assumir o poder Lenin e seus sucessores perpetraram horrores inauditos contra seu povo. Analogamente, Nelson Mandela lutou contra o Partido Nacionalista da África do Sul, que impunha o grotesco sistema de políticas racistas conhecido como Apartheid. Seus métodos foram diabólicos. Uma vez no poder, ele e seus sucessores espalharam o terror pelo país. E seu objetivo? O mesmo que o de Lenin. Mandela foi um terrorista. Seu modus operandi incluía uso de minas e explosivos contra civis inocentes, assassinato de negros não alinhados à sua causa, incêndios contra negócios cujo proprietário era negro, greves e boicotes incitados através de coerção e tortura. Aterrorizava as mesmas pessoas que dizia estar libertando da tirania do Apartheid. Mandela transformou a África do Sul em uma ditadura sem oposição comandada pela cleptocracia da aliança CNA/PCAS, que está levando o país à extrema pobreza, ao caos social e até mesmo ao genocídio. Ironicamente, a ideologia defendida por Mandela é a grande responsável por aquilo que o mundo acredita que ele combateu. O apartheid é filho do casamento profano entre a mentalidade anti-capitalista e os interesses dos grandes players políticos e corporativos.

Fidel Castro “queria os recursos naturais de Angola”

http://www.redeangola.info/fidel-castro-queria-os-recursos-naturais-de-angola/

DELAÇÃO DA OAS: ESTELIONATO DELACIONAL OU VAZAMENTO INTENCIONAL?

Governo vai segurar no Senado projetos de reajustes de servidores

https://www.facebook.com/anexoseis/videos/1080289168727712/

Folha Política: Lewandowski nega pedido de Dilma para anular pronúncia do impeachment

Folha Política: Lewandowski nega pedido de Dilma para anular pronúncia do impeachment

Folha Política: Rodrigo Janot teria participado de 'acerto' para 'matar' a Lava Jato por R$ 1 bilhão

Folha Política: Rodrigo Janot teria participado de 'acerto' para 'matar' a Lava Jato por R$ 1 bilhão

O Homem Que Está Salvando o Brasil | #OlavoTemRazão

CANAIS DE DIREITA COM DIAS CONTADOS "JEAN WILLYS " COMUNISTA COMO CHEFE

Mais uma professora agredida. Até quando?

Folha Política: Candidato a vereador pela coligação “Honestidade e Competência” é preso por tentar furtar banco

Folha Política: Candidato a vereador pela coligação “Honestidade e Competência” é preso por tentar furtar banco

Ministro Barroso (do STF) atuando contra a Lei da Ficha Limpa

A MALANDRAGEM POR TRÁS DA DELAÇÃO SUSPENSA DA OAS

Folha Política: Ex-vidraceiro, sobrinho de Lula não explica como sua empresa ganhou R$ 1,5 milhão

Folha Política: Ex-vidraceiro, sobrinho de Lula não explica como sua empresa ganhou R$ 1,5 milhão

Cuba antes do comunismo e depois com o comunismo de Fidel Castro a destr...

Vídeo registra momento tenso em que policiais retiram colete suicida de menino de 11 anos Policiais retiraram colete com 2 kg de explosivos de garoto detido nas imediações de mesquita em Kirkuk, em região com forte presença curda.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/08/video-registra-momento-tenso-em-que-policiais-retiram-colete-suicida-de-menino-de-11-anos.html

Após perder recurso no CAS, Rússia tem todos atletas banidos da Rio 2016

http://globoesporte.globo.com/paralimpiadas/noticia/2016/08/cas-acolhe-comite-paralimpico-e-bane-todos-atletas-russos-da-rio-2016.html

FBI descobre mais 14.900 e-mails não divulgados por Hillary | VEJA.com

http://veja.abril.com.br/mundo/fbi-descobre-mais-14-900-e-mails-nao-divulgados-por-hillary/

LAVA TOGA - Dias Toffoli na MIRA - Lava Jato chega ao SUPREMO TRIBUNAL F...

O STF em APUROS!! Empreiteira OAS DELATA Ministro do Supremo Tribunal Fe...

Vão bater panelas para Temer

http://cristalvox.com/vao-bater-panelas-para-temer/

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Lava Jato atinge o STF - Marco Antonio Villa

Justiça bloqueia bens de 30 médicos do SAMU que receberam sem trabalhar

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/justica-bloqueia-bens-de-30-medicos-do-samu-que-receberam-sem-trabalhar/

MAPA DO IMPEACHMENT.

http://www.mapa.vemprarua.net/

Folha Política: Caixa ficou com nome sujo por causa da administraç...

Folha Política: Caixa ficou com nome sujo por causa da administraç...: Imagem: Reprodução / Redes Sociais Maior banco público do país, a Caixa Econômica Federal  está com o nome na Dívida Ativa da União. A ...

Folha Política: Cartola das Olimpíadas comete gafe e diz que o Brasil tem as mesmas cores do Comunismo; veja

Folha Política: Cartola das Olimpíadas comete gafe e diz que o Brasil tem as mesmas cores do Comunismo; veja

rvchudo: PMERJ obedece ao COI em detrimento da Justiça.

rvchudo: PMERJ obedece ao COI em detrimento da Justiça.: Ontem, domingo 21 de agosto, um grupo de manifestantes organizados, pacíficos e ordeiros foi fazer valer seu Direito Constitucional de livr...

Por que o povo acha tão legal ser bandido? - Madeleine Lacsko e Carlos a...

URGENTE: DILMA NEGOCIA GOLPE DA CONFISSÃO PREMIADA

Escassez e violência: Duas refeições por dia. E só

http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,escassez-e-violencia-duas-refeicoes-por-dia-e-so,10000070927

Por ordem do juiz federal Sérgio Moro, ao longo dos últimos meses, empreiteiro preso desde 19 de junho de 2015 teve um total de R$ 23,9 milhões em bens confiscados

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/lava-jato-bloqueia-ate-casa-de-r-86-mi-de-odebrecht/

domingo, 21 de agosto de 2016

Em palestra ignorada pela mídia, general denuncia que Fidel Castro financiava José Dirceu durante o regime militar

http://www.revoltabrasil.com.br/midia/3101-em-palestra-ignorada-pela-midia-general-denuncia-que-fidel-castro-financiava-jose-dirceu-durante-o-regime-militar.html

Folha Política: Salários de juízes no Brasil superam os dos Estado...

Folha Política: Salários de juízes no Brasil superam os dos Estado...: Imagem: Reprodução / Redes Sociais O salário dos juízes no Brasil tem um teto. Não pode ultrapassar o salário de ministros do Supremo T...

Fachin devolve para Justiça inquérito sobre contas de campanha de Dilma

Ministro Fachin do STF devolve para Justiça inquérito sobre contas de campanha de Dilma. Prestadoras de serviço são investigadas por supostas irregularidades.  Ministro entendeu que não há indícios de envolvimento de pessoas com foro  especial.
O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), devolveu para a Justiça Federal de Brasília inquérito sobre supostas irregularidades envolvendo prestadoras de serviço da campanha da presidente afastada Dilma Rousseff em 2014.
Fachin seguiu parecer da Procuradoria Geral da República, que entendeu que não havia nenhum indício de envolvimento de pessoas com foro privilegiado nas supostas irregularidades e, portanto, não havia razão para a apuração seguir no Supremo.
O caso chegou ao STF em janeiro deste ano. Trata-se de inquérito aberto pela Polícia Federal, a pedido do ministro Gilmar Mendes – hoje presidente do Tribunal Superior Eleitoral e então relator das contas de campanha de Dilma.
Para o ministro, havia suspeita de que parte do dinheiro desviado de contratos da Petrobras foi devolvido em forma de propina ao PT por meio de doação de campanha ao partido e à campanha presidencial. Ele também viu indícios de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, que poderiam, na avaliação dele, levar à abertura de ação penal.
A PF pediu quebra de sigilo fiscal, bancário e de email de empresas e pessoas físicas que prestaram serviços à campanha de Dilma, mas a Justiça Federal remeteu o caso para o STF por entender quer se tratava de apuração envolvendo a campanha da presidente, mesmo diante do fato de Dilma não ser diretamente alvo da apuração.
Em fevereiro, o ministro Fachin, relator sorteado, pediu parecer da Procuradoria Geral da República, a quem compete comandar investigações no Supremo sobre autoridades com foro. Desde então, há seis meses, o processo estava na Procuradoria. Agora, o caso seguirá na primeira instância.
Conteúdo G1 – Mariana OliveiraTV/Globo

Brasília em pânico, reunião de emergência agora no Planalto deve decidir prisão de LULA

Brasília em pânico, reunião de emergência agora no Planalto deve decidir prisão de LULA

ENTENDA O QUE É A GUERRA HÍBRIDA: A NOVA GUERRA DO SÉCULO 21 TEM O BRASIL NO EPICENTRO.

Nos manuais norte-americanos as ações não-convencionais contra “forças hostis” a Washington. A centralidade do Pré-Sal no impeachment. Como os super-ricos cooptam a velha classe média.
O Brasil no epicentro da Guerra Híbrida
Revoluções coloridas nunca são demais. Os Estados Unidos, ou o Excepcionalistão, estão sempre atrás de atualizações de suas estratégias para perpetuar a hegemonia do seu Império do Caos.
A matriz ideológica e o modus operandi das revoluções coloridas já são, a essa altura, de domínio público. Nem tanto, ainda, o conceito de Guerra Não-Convencional (UW, na sigla em inglês).
Esse conceito surgiu em 2010, derivado do Manual para Guerras Não-Convencionais das Forças Especiais. Eis a citação-chave: “O objetivo dos esforços dos EUA nesse tipo de guerra é explorar as vulnerabilidades políticas, militares, econômicas e psicológicas de potências hostis, desenvolvendo e apoiando forças de resistência para atingir os objetivos estratégicos dos Estados Unidos. […] Num futuro previsível, as forças dos EUA se engajarão predominantemente em operações de guerras irregulares (IW, na sigla em inglês)”.
“Potências hostis” são entendidas aqui não apenas no sentido militar; qualquer país que ouse desafiar um fundamento da “ordem” mundial centrada em Washington pode ser rotulado como “hostil” – do Sudão à Argentina.
As ligações perigosas entre as revoluções coloridas e o conceito de Guerra Não-Convencional já desabrocharam, transformando-se em Guerra Híbrida; caso perverso de Flores do Mal. Revolução colorida nada mais é que o primeiro estágio daquilo que se tornará a Guerra Híbrida. E Guerra Híbrida pode ser interpretada essencialmente como a Teoria do Caos armada – um conceito absoluto queridinho dos militares norte-americanos (“a política é a continuidade da guerra por meios linguísticos”). Meu livro Império do Caos, de 2014, trata essencialmente de rastrear uma miríade de suas ramificações.
Essa bem fundamentada tese em três partes esclarece o objetivo central por trás de uma Guerra Híbrida em larga escala: “destruir projetos conectados transnacionais multipolares por meio de conflitos provocados externamente (étnicos, religiosos, políticos etc.) dentro de um país alvo”.
Os países do BRICS (Brasil Rússia, Índia, China e África do Sul) – uma sigla/conceito amaldiçoada no eixo Casa Branca-Wall Street – só tinham de ser os primeiros alvos da Guerra Híbrida. Por uma miríade de razões, entre elas: o plano de realizar comércio e negócios em suas próprias moedas, evitando o dólar norte-americano; a criação do banco de desenvolvimento dos BRICS; a declarada intenção de aumentar a integração na Eurásia, simbolizada pela hoje convergente “Rota da Seda”, liderada pela China – Um Cinturão, Uma Estrada (OBOR, na sigla em inglês), na terminologia oficial – e pela União Econômica da Eurásia, liderada pela Rússia (EEU, na sigla em inglês).
Isso implica em que, mais cedo do que tarde, a Guerra Híbrida atingirá a Ásia Central; o Quirguistão é o candidato ideal a primeiro laboratório para as experiências tipo revolução colorida dos Estados Unidos, ou o Excepcionalistão.
No estágio atual, a Guerra Híbrida está muito ativa nas fronteiras ocidentais da Rússia (Ucrânia), mas ainda embrionária em Xinjiang, oeste longínquo da China, que Pequim microgerencia como um falcão. A Guerra Híbrida também já está sendo aplicada para evitar o estratagema da construção de um oleoduto crucial, a construção do Ramo da Turquia. E será também totalmente aplicada para interromper a Rota da Seda nos Bálcãs – vital para a integração comercial da China com a Europa Oriental.
Uma vez que os BRICS são a única e verdadeira força em contraposição ao Excepcionalistão, foi necessário desenvolver uma estratégia para cada um de seus principais personagens. O jogo foi pesado contra a Rússia – de sanções à completa demonização, passando por um ataque frontal a sua moeda, uma guerra de preços do petróleo e até mesmo uma (patética) tentativa de iniciar uma revolução colorida nas ruas de Moscou. Para um membro mais fraco dos BRICS foi preciso utilizar uma estratégia mais sutil, o que nos leva à complexidade da Guerra Híbrida aplicada à atual, maciça desestabilização política e econômica do Brasil.
No manual da Guerra Híbrida, a percepção da influência de uma vasta “classe média não-engajada” é essencial para chegar ao sucesso, de forma que esses não-engajados tornem-se, mais cedo ou mais tarde, contrários a seus líderes políticos. O processo inclui tudo, de “apoio à insurgência” (como na Síria) a “ampliação do descontentamento por meio de propaganda e esforços políticos e psicológicos para desacreditar o governo” (como no Brasil). E conforme cresce a insurreição, cresce também a “intensificação da propaganda; e a preparação psicológica da população para a rebelião.” Esse, em resumo, tem sido o caso brasileiro.
Precisamos do nosso próprio Saddam.
Um dos maiores objetivos estratégicos do Excepcionalistão é em geral um mix de revolução colorida e Guerra Híbrida. Mas a sociedade brasileira e sua vibrante democracia eram muito sofisticadas para métodos tipo hard, tais como sanções ou a “responsabilidade de proteger” (R2P, na sigla em inglês).
Não por acaso, São Paulo tornou-seo epicentro da Guerra Híbrida contra o Brasil. Capital do estado mais rico do Brasil e também capital econômico-financeira da América Latina, São Paulo é o nódulo central de uma estrutura de poder interconectada nacional e internacionalmente.
O sistema financeiro global centrado em Wall Street – que domina virtualmente o Ocidente inteiro – não podia simplesmente aceitar a soberania nacional, em sua completa expressão, de um ator regional da importância do Brasil.
A “Primavera Brasileira” foi virtualmente invisível, no início, um fenômeno exclusivo das mídias sociais – tal qual a Síria, no começo de 2011.
Foi quando, em junho de 2013, Edward Snowden revelou as famosas práticas de espionagem da NSA. No Brasil, a questão era espionar a Petrobras. E então, num passe de mágica, um juiz regional de primeira instância, Sérgio Moro, com base numa única fonte – um doleiro, operador de câmbio no mercado negro – teve acesso a um grande volume de documentos sobre a Petrobras. Até o momento, a investigação de dois anos da Lava Jato não revelou como eles conseguiram saber tanto sobre o que chamaram de “célula criminosa” que agia dentro da Petrobras.
O importante é que o modus operandi da revolução colorida – a luta contra a corrupção e “em defesa da democracia” – já estava sendo colocada em prática. Aquele era o primeiro passo da Guerra Híbrida.
Como cunhado pelos Excepcionalistas, há “bons” e “maus” terroristas causando estragos em toda a “Siraq”; no Brasil há uma explosão das figuras do corrupto “bom” e do corrupto “ruim”.
O Wikileaks revelou também como os Excepcionalistas duvidaram da capacidade do Brasil de projetar um submarino nuclear – uma questão de segurança nacional. Como a construtora Odebrecht tornava-se global. Como a Petrobras desenvolveu, por conta própria, a tecnologia para explorar depósitos do pré sal – a maior descoberta de petróleo deste jovem século 21, da qual as Grandes Petrolíferas dos EUA foram excluidas por ninguém menos que Lula.
Então, como resultado das revelações de Snowden, a administração Roussef exigiu que todas as agências do governo usassem empresas estatais em seus serviços de tecnologia. Isso poderia significar que as companhias norte-americanas perderiam até US$ 35 bilhões de receita em dois anos, ao ser excluídos de negociar na 7ª maior economia do mundo – como descobriu o grupo de pesquisa Fundação para a Informação, Tecnologia & Inovação (Information Technology & Innovation Foundation).
O futuro acontece agora.
A marcha em direção à Guerra Híbrida no Brasil teve pouco a ver com as tendências políticas de direita ou esquerda. Foi basicamente sobre a mobilização de algumas famílias ultra ricas que governam de fato o país; da compra de grandes parcelas do Congresso; do controle dos meios de comunicação; do comportamento de donos de escravos do século 19 (a escravidão ainda permeia todas as relações sociais no Brasil); e de legitimar tudo isso por meio de uma robusta, embora espúria tradição intelectual.
Eles dariam o sinal para a mobilização da classe média. O sociólogo Jesse de Souza identificou uma freudiana “gratificação substitutiva”, fenômeno pelo qual a classe média brasileira – grande parte da qual clama agora pela mudança do regime – imita os poucos ultra ricos, embora seja impiedosamente explorada por eles, através de um monte de impostos e altíssimas taxas de juros.
Os 0,0001% ultra ricos e as classes médias precisavam de um Outro para demonizar – no estilo Excepcionalista. E nada poderia ser mais perfeito para o velho complexo da elite judicial-policial-midiática do que a figura de um Saddam Hussein tropical: o ex-presidente Lula.
“Movimentos” de ultra direita financiados pelos nefastos Irmãos Kock pipocaram repentinamente nas redes sociais e nos protestos de rua. O procurador geral de justiça do Brasil visitou o Império do Caos chefiando uma equipe da Lava Jato para distribuir informações sobre a Petrobras que poderiam sustentar acusações do Ministério da Justiça. A Lava Jato e o – imensamente corrupto – Congresso brasileiro, que irá agora deliberar sobre o possível impeachment da presidente Roussef, revelaram-se uma coisa só.
Àquela altura, os roteiristas estavar seguros de que a infra-estrutura social para a mudança de regime já havia produzido uma massa crítica anti-governo, permitindo assim o pleno florescimento da revolução colorida. O caminho para um golpe soft estava pavimentado – sem ter sequer de recorrer ao mortal terrorismo urbano (como na Ucrânia). O problema era que, se o golpe soft falhasse – como parece ser pelo menos possível, agora – seria muito difícil desencadear um golpe duro, estilo Pinochet, através da UW, contra a administração sitiada de Roussef; ou seja, executando finalmente a Guerra Híbrida Total.
No nível socioeconômico, a Lava Jato seria um “sucesso” total somente se fosse espelhada por um abrandamento das leis brasileiras que regulam a exploração do petróleo, abrindo-a para as Grandes Petrolíferas dos EUA. Paralelamente, todos os investimentos em programas sociais teriam de ser esmagados.
Ao contrário, o que está acontecendo agora é a mobilização progressiva da sociedade civil brasileira contra o cenário de golpe branco/golpe soft/mudança de regime. Atores cruciais da sociedade brasileira estão se posicionando firmemente contra o impeachment da presidente Rousseff, da igreja católica aos evangélicos; professores universitários do primeiro escalão; ao menos 15 governadores estaduais; massas de trabalhadores sindicalizados e trabalhadores da “economia informal”; artistas; intelectuais de destaque; juristas; a grande maioria dos advogados; e por último, mas não menos importante, o “Brasil profundo” que elegeu Rousseff legalmente, com 54,5 milhões de votos.
A disputa não chegará ao fim até que se ouça o canto de algum homem gordo do Supremo Tribunal Federal. Certo é que os acadêmicos brasileiros independentes já estão lançando as bases para pesquisar a Lava Jato não como uma operação anti-corrupção simples e maciça; mas como estudo de caso final da estratégia geopolítica dos Exceptionalistas, aplicada a um ambiente globalizado sofisticado, dominado por tecnologia da informação e redes sociais. Todo o mundo em desenvolvimento deveria ficar inteiramente alerta – e aprender as relevantes lições, já que o Brasil está fadado a ser visto como último caso da Soft Guerra Híbrida.
Autor: Pepe Escobar

Tradução: Vinícius Gomes Melo e Inês Castilho

Fora da Matrix 1: Satanismo e ocultismo direcionando a ciência e as ...

Fora da Matrix 1: Satanismo e ocultismo direcionando a ciência e as ...

BOLSONARO DEIXA REPÓRTER EM SAIA JUSTA.

BOLSONARO DEIXA REPÓRTER EM SAIA JUSTA.

Epopeia do sítio em Atibaia ganha novo e explosivo ingrediente e situação de Lula fica mais complicada

A epopeia do misterioso Sítio Santa Bárbara, em Atibaia, interior de São Paulo, vem ganhando capítulos explosivos e desconexos. Aliás, o imbróglio é Marcão pelo desencontro de declarações dos envolvidos no que é considerado uma farsa pela força-tarefa da Operação Lava-Jato, que continua afirmando ser Lula o verdadeiro dono do imóvel.
Durante ação de busca e apreensão, na Operação Aletheia (24ª fase da Lava-Jato), a Polícia Federal encontrou no apartamento de Lula, em São Bernardo do Campo, uma minuta de contrato de compra e venda do tal sítio (sem assinaturas), além de notas fiscais referentes à reforma realizada no imóvel a pedido de Marisa Letícia. Desde então, declarações têm se contraposto e fugido da lógica.
O Santa Bárbara está registrado em nome de Fernando Bittar e Jonas Suassuna Filho, sócios de um dos filhos do ex-presidente, mas nem isso fez os investigadores mudarem de ideia a respeito do verdadeiro proprietário, no caso Lula, que poderá ser indiciado por vários crimes, começando por ocultação de patrimônio.
Depois de muitas idas e vindas, Bittar disse que comprou a propriedade com dinheiro do pai, Jacó Bittar, ex-prefeito de Campinas e amigo de Lula há mais de quarenta anos. Acontece que Celso Silva Vieira Prado, funcionário de confiança da família Bittar e responsável por cuidar de todos os imóveis do clã, jamais visitou o sítio e só ouviu falar do mesmo depois que o assunto ganhou o noticiário.
Por sua vez, Suassuna Filho teria brigado com Lulinha por causa de seu nome ter sido arremessado na lama da Operação Lava-Jato. Empresário bem sucedido, Suassuna mora em um elegante e caro apartamento duplex na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e é conhecido pelo gosto refinado e por ser um apreciador de obras de arte, vinhos raros e alta gastronomia. Além disso, Suassuna é dono de uma belíssima casa na paradisíaca Ilha dos Macacos, em Angra dos Reis, litoral fluminense.
Quem conhece os gostos de Suassuna sabe que a decoração do sítio Santa Bárbara não combina com seu estilo de vida. Ademais, trata-se de contrassenso logístico um sítio em Atibaia para quem mora no Rio e tem uma belíssima e confortável casa de veraneio em Angra dos Reis.
Na última terça-feira (16), Marisa Letícia e Fábio Luís Lula da Silva, conhecido como Lulinha, faltaram ao depoimento na PF. O renomado criminalista José Roberto Batochio, que coordena a defesa da família Lula da Silva na área penal, recomendou aos clientes que não comparecessem à Polícia Federal para, na condição de testemunhas, prestar esclarecimentos sobre o Sítio Santa Bárbara.
Na quarta-feira (17), o pecuarista José Carlos Bumlai disse à PF, em São Paulo, que foi chamado por Marisa Letícia para coordenar as obras da reforma no sítio em Atibaia. Segundo Bumlai, a ex-primeira-dama disse-lhe que a reforma seria uma surpresa para Lula. Não demorou muito tempo e o pecuarista foi informado que deveria deixar a função, pois o ritmo das obras desagradava Marisa Letícia. Bumlai disse que a família Lula da Silva havia decidido contratara uma “construtora de verdade”.
Ora, se o sítio não é de Lula e o ex-presidente desconhecia a tal reforma, não havia motivo para um assessor palaciano ter informado a Bumlai que ele deveria deixar a coordenação das obras.

A farsa começa a ganhar força no momento em que duas empreiteiras envolvidas no Petrolão e investigadas na Lava-Jato, Odebrecht e OAS, assumem a reforma. Duas das maiores empreiteiras do País empenhadas em erguer um “puxadinho chique” em uma propriedade que pertence a terceiros. Por meio dos advogados e do instituto que leva seu nome, Lula alegou que frequentava o sítio somente nos momentos de folga. Entre 2012 e janeiro deste ano, Lula esteve 111 vezes no Santa Bárbara. O que mostra que o petista é realmente folgado.
De acordo com a legislação vigente no País, todo ex-presidente da República tem direito a assessores e seguranças. Para confirmar que o caso do sítio é mal contado, basta conferir o número de viagens dos seguranças de Lula a Atibaia. Em seis datas distintas, os seguranças estavam em Atibaia enquanto o petista estava em viagem internacional – saindo do País ou retornando.
Às 7h57 do dia 13 de março de 2013, a Polícia Federal registrou a saída de Lula do País. Naquela data o ex-presidente rumou para a África, onde possivelmente foi cuidar dos interesses de empreiteiras brasileiras. Mo mesmo dia 13 de março, o militar Elias dos Reis, segurança de Lula, saiu de São Bernardo do Campo com destino a Atibaia.
Elias Recebeu de diária R$ 265, voltando a São Bernardo no dia seguinte. Enquanto Lula estava na África fazendo lobby e esparramando sua mitomania malandra no continente, o Palácio Planalto registrou da seguinte forma a viagem do segurança a Atibaia: “Compor a equipe de segurança do Sr Ex-Presidente da República”.
Pois bem, o direito a segurança e assessores a que todo ex-presidente tem direito não é extensivo a familiares. De tal modo, se Lula estava na África, o segurança não tinha o que fazer em Atibaia.
A primeira desculpa que rondou o sítio é que a propriedade foi adquirida para que as famílias Bittar e Lula da Silva pudessem passar mais tempo juntas. Se isso é verdade, não havia razão para, certa feita, Lulinha telefonar ao caseiro do sítio, conhecido como Maradona, para avisar que Kalil Bittar, irmão de Fernando, passaria um dia na propriedade. Ora, se a família Bittar é uma das donas do imóvel, Kalil não precisa de autorização para permanecer no local.
A mentira que se ergue a partir do sítio ganhou um ingrediente extra na quinta-feira (16). Em depoimento à Polícia Federal, em São Paulo, Fernando Bittar disse que a reforma no sítio teve o objetivo de viabilizar a armazenagem do acervo do ex-presidente Lula. Mas o sítio não era visitado pelo ex-metalúrgico apenas nos dias de folga? O sítio não foi reformado para que as famílias Bittar e Lula da Silva desfrutassem do local juntas?
Comparado ao montante desviado da Petrobras (até agora são R$ 21 bilhões), o valor do Sítio Santa Bárbara (R$ 1,5 milhão) é considerado troco. Contudo, chama a atenção o fato de Lula estar gastando com advogados pelo menos quatro vezes o valor do sítio para se defender em um escândalo que tem como cerne um imóvel que ele próprio diz não ser seu.
É importante lembrar que o empresário Jonas Suassuna Filho, cuja mulher não gosta da relação do marido com a turma de Lula, ainda não falou à Polícia Federal. Quando isso acontecer, Lula terá de arrumar a mochila rumo a Curitiba.

Folha Política: Criminosos fazem campanha contra Sergio Moro

Folha Política: Criminosos fazem campanha contra Sergio Moro

Delação complementa relato de Xepa

O Globo:
"A declaração dos executivos da Odebrecht sobre os R$ 100 milhões repassados ao PT com a intermediação de Mantega complementa informação prestada por Monica Moura, mulher do ex-marqueteiro petista João Santana, em tentativa de delação premiada.Como O Globo mostrou em abril deste ano, ela disse ter sido orientada a procurar o então ministro da Fazenda para receber a indicação de executivos dispostos a dar contribuições em dinheiro, que não passaram por contas oficiais do PT e, por isso, não foram declaradas à Justiça Eleitoral. O que não se sabia, na época, era o motivo dos pagamentos feitos pela Odebrecht, agora revelado pelos executivos na tentativa de delação."
Guido Mantega acabará preso.

Duque pode fazer a “Delação do Fim do Mundo” contra Lula e Dilma

O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, condenado na Operação Lava Jato a mais de 50 anos de prisão retomou as negociações para um acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal.
Investigadores têm chamado esse acordo de “delação do fim do mundo”, para a presidente afastada, Dilma Rousseff, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Duque promete apontar a participação deles na sistemática de cartel e corrupção na estatal – com rombo reconhecido até aqui de R$ 6,2 bilhões.
Lula é um dos pontos centrais das tratativas com a força-tarefa da Lava Jato.
O ex-diretor da estatal se compromete a apresentar provas documentais de que o ex-presidente sabia do esquema.
 As tratativas estão em fase de discussão de anexos, na qual a defesa elabora um esboço dos crimes que ele vai confessar e os novos fatos ilegais que vai relatar, em troca de benefícios e redução de pena.
A colaboração premiada do ex-diretor, se for aceita pela Procuradoria e homologada pela Justiça, pode ser a primeira a ligar diretamente Dilma ao esquema na Petrobras.
fonte: Diário doPoder

O Pensamento de ANTONIO GRAMSCI aplicado no Brasil pelo PT.

SUSPENSO EN “MIEDO PROFUNDO”

http://www.radiorock.uy/suspenso-en-miedo-profundo/

ODEBRECHT: 1OO MILHÕES EM TROCA DE LEIS

Executivos da Odebrecht relataram à Lava Jato que a empreiteira repassou ao PT pelo menos 100 milhões em reais, por intermédio do departamento de propina.
"De acordo com o relato dos executivos, a maior parte dos pagamentos teria sido feita em troca de benefícios obtidos nos últimos anos graças a projetos como a desoneração da folha de pagamentos e a redução de imposto de renda sobre o lucro de empresas brasileiras no exterior", publica O Globo.
É assustador.

Lama invade gabinete do Ministro Dias Tóffoli no STF

https://www.facebook.com/cristalvox/videos/631146027053734/

rvchudo: A referencia da esquerda, Cuba decadente há 57 ano...

rvchudo: A referencia da esquerda, Cuba decadente há 57 ano...: Cuba parou no tempo, lá tudo continua como há 50 anos atrás. A família Castro tomou de assalto o território, o povo vive em "escra...

sábado, 20 de agosto de 2016